Nas suas andanças por supermercados e frigoríficos, você já deve ter dado de cara com funcionários da casa se esquivando de usar equipamentos de proteção individual, os famosos EPIs.

O que muita gente não sabe é que, além de ser obrigatório pela legislação trabalhista, o uso deles é essencial para proteger o trabalhador do frio excessivo e da umidade.

Ao entrar com o corpo quente em uma câmara fria, o choque térmico pode causar hipotermia.

Por essa razão, existem, por exemplo, as japonas térmicas, dotadas de capuz, botões de pressão, fechamento em velcro e punho sanfonado.

Graças a essas características, elas impedem o congelamento das extremidades sensíveis e mantêm a saúde de quem as utilizam.

Além de incentivar o uso dessas roupas, proteja-se você também sempre que for verificar uma câmara ligada ou então realizar algum serviço nessa condição, mesmo que seja rápido.

Para você ter uma ideia do quanto a permanência em ambientes gelados é delicada, a jornada nesses casos precisa ter 20 minutos de repouso a cada 1 hora e 40 minutos de trabalho.

Com isso fica fácil imaginar os danos causados à saúde de quem se julga um super-herói e entra desprotegido nessas instalações.