Uma data para celebrar. E se comprometer …

Avanços são inegáveis até aqui, mas profissional consciente jamais pode baixar a guarda em sua conduta ambiental

Estamos vivendo neste mês mais um Dia Internacional para Preservação da Camada Ozônio, que certamente não se restringe ao 16 de setembro, comemorado oficialmente mundo afora.

Afinal, cada um de nós empunha a bandeira ambiental   muitas vezes ao longo do ano, ao fazer nosso trabalho com cuidado e eficiência, sempre buscando novidades e aprendizados sobre os fluídos refrigerantes.

Às vezes, damos até uma de professor, alertando com nosso conhecimento técnico e experiência os donos de equipamentos sobre questões como a redução do consumo de energia ou a necessidade de troca de aparelhos antigos pelos mais eficientes.

Mas como surgiu a comemoração nesta data? Pois bem, 16 de setembro marcou, em 1987, a assinatura do Protocolo de Montreal, tratado pioneiro endossado por 197 países, tratando da importância da conscientização sobre o papel fundamental da camada de ozônio na preservação da vida no planeta.

Com base no desenvolvimento científico e tecnológico, o documento estabelece medidas de controle de produção e de consumo global de mais de 100 produtos químicos prejudiciais de diversas categorias.

Um estudo publicado pela revista científica Nature aponta que a sociedade, incluindo o setor de refrigeração, tem contribuído para a regeneração da camada de ozônio.

Há cerca de um ano, imagens de satélite identificaram que o pico anual do buraco havia encolhido para 16,4 milhões de quilômetros quadrados, a menor extensão desde 1982. De acordo com a Nasa, a expectativa é que nos próximos anos o buraco continue a diminuir, mas apenas em 2070 será possível alcançar o mesmo nível do ano de 1980.

Muitos desafios sobre esse tema ainda estão por vir, entretanto, ao celebrar a data temos a oportunidade de relembrar esse propósito e nos comprometer, todos juntos, com o futuro do nosso planeta.

Comente