Mesmo num mercado competitivo como o atual, ainda há refrigerista que prefira dispensar um serviço a fazê-lo ganhando abaixo do valor justo.

Um claro exemplo dessa postura é dado pelo nosso colega Marcos Alberto Ferreira, com quem me encontrei dia desses na Frigelar do Tatuapé, em São Paulo, onde ele faz todas suas compras desde a inauguração da loja, há pouco mais de dois anos.

Formado pela Escola Senai “Oscar Rodrigues Alves”, com passagem também por cursos oferecidos por diversos fabricantes de ar-condicionado, ele é o tipo do profissional que não entra nos chamados leilões de preço.

Dentre os grandes problemas identificados na área por Marcos está a existência de “pseudo-especialistas” cobrando bem abaixo do ideal, mas oferecendo um serviço de qualidade igualmente inferior, seja uma instalação, reparo ou manutenção preventiva.

“Pode fechar com o cara”, aconselha ele ao cliente sempre que é confrontado com alguma proposta imbatível, fruto de concorrência desleal.

No entender do colega, esses casos ainda ocorrem por uma questão cultural do brasileiro, pois é comum o consumidor comprar uma máquina em oferta e querer a instalação mais em conta ainda.

Entretanto, Marcos tem o seu preço e não se arrepende de fazer a coisa certa desde o momento de passar o orçamento.

“Visitei agora há pouco uma empresa que tem três filiais, e ela quer que eu faça a manutenção em todas as suas máquinas. São 45, no total”, comemora o profissional, que não precisou aviltar seus custos para fechar mais este bom negócio.

E assim como outros profissionais do setor que são parceiros da Frigelar, ele está superanimado com a promoção Verão Frigelada, que vai sortear uma cervejeira entre os clientes de cada loja participante, e ao Programa de Incentivo Fujitsu, que está bonificando os colegas que recomendam as condensadoras da marca japonesa aos consumidores.

Cliente do vendedor que atende um dos ganhadores da promoção Oficina Completa no ano passado, Marcos já está cadastrando as notas fiscais de suas compras no site da promoção para ganhar a cervejeira.

“Fiquei triste por não ter ganhado as ferramentas sorteadas no ano passado, mas desta vez vai dar certo, pois compro de um cara sortudo”, brinca.

“Também vou continuar recomendando aos meus clientes os equipamentos da Fujitsu, que, por sinal, é uma excelente marca. Inclusive, já fiz três cursos oferecidos por esta empresa e quero fazer mais”, arremata.

Refrigerista formado pelo Senai Ipiranga, Marcos Alberto sempre recomenda aos seus clientesequipamentos da Fujitsu