Como você sabe, é bastante conhecido em nosso setor o papel importante do ar-condicionado automotivo para estimular o uso de outros tipos de sistema.

O motivo para isso é muito simples. Ao contar com esse conforto enquanto dirige, a pessoa se acostuma tanto com ele que passa a adquirir condicionadores para a casa e o local de trabalho.

Mas quais seriam os argumentos para convencer alguém a ter seu carro climatizado?

Bem, nessa hora não faltam boas razões, até mesmo sem manter relação direta com o desejo de se deixar o frio ou o calor excessivo do lado de fora.

A primeira delas é a questão da segurança, pois circular com os vidros fechados é uma defesa a mais contra os assaltos nos semáforos e a inconveniência de vendedores e panfleteiros.

Para quem coloca a economia em primeiro lugar, os equipamentos desse tipo também são mão na roda, já que o arraste causado pelo vento, no caso de vidros abertos, acaba aumentando o gasto de combustível ao se atingir os 80 km/h.

Além disso, o avanço tecnológico trouxe ao mercado compressores cada vez mais eficientes e que não prejudicam o desempenho do motor, ao contrário do que acontecia antigamente.

Não se pode negar também o efeito positivo do ar-condicionado na qualidade de vida de motoristas e passageiros. Juntamente com o conforto térmico, eles ganham os benefícios de transitar sem barulho e respirando um ar livre de poluição.

Colocando tudo isso na balança, fica difícil alguém ainda dizer que ar-condicionado automotivo é um luxo, principalmente se o carro for uma ferramenta de trabalho no seu dia a dia.