Com a grande variedade de fluidos refrigerantes hoje disponíveis no mercado, é importante saber o óleo lubrificante indicado para cada um, a fim de evitar problemas como a formação de ácidos, corrosão, lubrificação insuficiente e carbonização do óleo.

No caso dos HCFCs (R-22, R-401A/B, R-402A/B, R-403B, R-408A/B e R-409A/B), deve-se usar apenas óleo mineral (OM) ou alquilbezeno (AB).

Se o fluido do sistema for um HFC (R-134a, R-404A, R-407A/C/F, R-410A e R-507A), a indicação é o uso do sintético poliol éster (POE).

Já em se tratando de HFCs aplicados em retrofits substituindo HCFCs (R-417A, R-422A/D, R-424A, R-427A, R-428A, R-434A, R-437A, R-438A), pode-se adotar tanto o óleo mineral quando o alquilbenzeno e o poliol éster.

Em compensação, num sistema com CO2 (R-744), as opções são os sintéticos poliol éster e polialquileno glicol (PAG).

Finalmente, os hidrocarbonetos R-290 e R-600a aceitam óleo mineral, alquilbenzeno e poliol éster.

Vale lembrar que o óleo a ser usado com amônia (R-717) depende do sistema, devendo ser estudado caso a caso.

Bem, agora que você já conhece melhor os óleos indicados para cada diferente refrigerante, vale a pena saber um pouco mais sobre carga e viscosidade.

No primeiro caso, o grande cuidado a tomar se refere à quantidade, que não pode ser maior nem menor que a especificada, pois o excesso causa problemas em vários componentes, gasto adicional de energia e desgastes, estes últimos também ocorrendo quando há falta de óleo no sistema.

Com relação à viscosidade, ela é indicada pelo número que acompanha a categoria do lubrificante. Um produto ISO 22 é menos viscoso que um de ISO 32, por exemplo.

Normalmente, os óleos com maior viscosidade oferecem uma ótima lubrificação, mas gastam mais energia por provocar uma resistência maior, sendo mais indicados para equipamentos que possuem mais folga entre as partes.

As novas gerações de compressores, de alta performance, utilizam óleos com viscosidade cada vez menor, pois são os que apresentam os melhores resultados em lubrificação e eficiência energética.

Além disso, o uso do lubrificante correto, segundo especialistas da área, pode gerar uma economia de até 5% no consumo de energia elétrica.

E nunca se esqueça: em caso de dúvida sobre qual óleo deve ser usado num determinado circuito frigorífico, consulte o fabricante do compressor.